SIFIDE – Inovação na ordem do dia!

De acordo com os dados divulgados do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional de 2007, constata-se um acréscimo contínuo do número de empresas portuguesas com actividades de Investigação e Desenvolvimento (I&D), que passou de 940 em 2005 para mais de 1700 em 2008. O investimento das empresas quase que triplica entre 2005 e 2008 e cresce 22% entre 2007 e 2008, alcançando €1,2 mil milhões. A despesa das empresas em I&D representa agora 0,76% do PIB (0,62% em 2007), significando cerca de metade da despesa nacional total nesta área.

Em consequência, a despesa total do país em investigação atingiu 1,51% do PIB em 2008, um total de €2,5 mil milhões, valor que supera os níveis de despesa em I&D registados em Espanha (1,27%) e Irlanda (1,31%) em 2007.

Este milagre, num país avesso ao risco e à inovação, deve-se sobretudo à reintrodução no Verão de 2005 do sistema de incentivos fiscais à I&D nas empresas, SIFIDE, que foi actualizado e aperfeiçoado em 2008. O sistema possibilita uma dedução fiscal que pode atingir 82,5% do investimento em I&D e é um dos mais competitivos da Europa. Resultado: desde 2005 mais do que duplicou o número de empresas que a ele recorreram relativamente ao período 1997-2003.

Para ler mais, ir a:
http://aeiou.expresso.pt/o-sucesso-de-gago-e-da-cotec=f550092

http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=33563&op=all

http://www.semanainformatica.xl.pt/951/act/100.shtml