Portugal deu salto na investigação científica

NewsMINO Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior noticiou, um aumento na despesa em I&D ultrapassando 2513 milhões de euros em 2008. Onde nas empresas aumenta 22% entre 2007 e 2008 e representa metade da despesa nacional de I&D, bem como um aumento do número de investigadores para 7,2 em cada mil activo, maior que a média europeia. Tudo isto atingindo 1,51% do PIB em 2008, superando países como Espanha e Irlanda.
A despesa total em I&D em Portugal ultrapassou 2513 milhões de euros em 2008, passando esta a representar um máximo histórico de 1,51% do PIB nacional. Este valor supera os níveis de despesa em I&D registados em 2007 em Espanha (1,27% do PIB) e na Irlanda (1,31%). Em 2007 a despesa em I&D nacional tinha sido de 1973 milhões de euros, representando 1,21% do PIB.

O crescimento da despesa em I&D verifica-se quer no sector público quer no sector empresarial. No sector das empresas esse aumento é particularmente expressivo, já que a despesa nesse sector quase que triplica desde 2005 (a preços correntes) e cresce 22% entre 2007 e 2008, com cerca de 1258 milhões de euros em 2008 (era 1011 milhões de euros em 2007 e apenas 462 milhões de euros em 2005). A despesa em I&D das empresas atinge agora cerca de 0,76% do PIB (era 0,62% do PIB em 2007), representando cerca de metade da despesa nacional total em I&D. Os dados voltam ainda a mostrar um acréscimo contínuo em Portugal do número de empresas com actividades de I&D, que passou de cerca de 940 em 2005, para mais de 1700 em 2008.

Este aumento está ainda relacionado, com a reintrodução no Verão de 2005, do Sistema de Incentivos Fiscais à I&D nas Empresas (SIFIDE), o qual veio a ser actualizado e aperfeiçoado em 2008. De facto, Portugal oferece hoje o sistema de incentivos fiscais às empresas mais competitivo da Europa, facilitando uma dedução fiscal que pode atingir 82,5% do investimento em I&D. Nota-se que desde 2005 o número de empresas que recorreu ao SIFIDE mais que duplicou relativamente ao número das que se tinham candidatado em todo o período anterior (de 1997 a 2003).

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

saber mais